14 erros que cometemos na hora de acampar

Evite-os e garanta uma estadia na natureza com muito mais conforto e eficiência

ESCOLHA DUVIDOSA: O saco de dormir da marca norte-americana Poler. Melhor evitar (Foto: Poler)

Todos nós já cometemos alguma estupidez na hora de acampar. Vamos aprender com nossos erros:

1. Não trazer roupas quentes o suficiente. Este é o erro número 1 na hora de acampar. Falhamos ao esquecer que as montanhas são mais frias que as cidades, e que o deserto pode ser bem frio também. Ou então você pensa em uma ocasião em que estava muito frio e um moleto mfoi suficiente – mas passar a noite toda a temperaturas baixas é outra história.

Se você vai acampar em um lugar com o qual não está familiarizado, ou em uma época diferente da qual está acostumado, ou há chances de uma virada inesperada no tempo, é preciso se preparar para o pior. Mesmo que a probabilidade de fazer frio seja baixa, leve um casaco impermeável, uma camada quente, meias grossas e um gorro.

É possível se manter confortável em quase qualquer tipo de clima, só é preciso se vestir adequadamente.

2. Levar coisas demais. Pense pelo lado positivo: você não está sozinho. Quase todo mundo leva coisas demais, que acabam não sendo usadas. É preciso experiência para saber exatamente quais equipamentos básicos levar. Preste atenção no que você usa durante uma viagem e naquilo que nunca sai de dentro da mochila, e anote para sua próxima expedição. Na hora de fazer a mala, pergunte a si mesmo: “eu realmente precisarei disto?”, ao invés de dizer “talvez eu use isto”.

3. Usar botas pesadas em caminhadas leves. O segundo jeito mais comum de diminuir sua velocidade na trilha é usar botas muito pesadas quando elas não são necessárias (o primeiro é carregar uma mochila pesada demais, resultado de “levar coisas demais”). Se você planeja seguir uma trilha que não estará coberta de neve ou lama e não arriscará torcer o tornozelo a cada passo sobre um terreno irregular, é melhor apostar em um tênis de trilha leve e ventilado. Procure um com bastante tração na sola e sem uma membrana impermeável – tênis baixos ficam molhados mesmo com a membrana, e modelos bem-ventilados secam mais rápido. Leve uma meia extra e troque conforme necessário.

4. Não vestir camadas. Sua primeira camada de roupas te mantém seco afastando o suor, a segunda te aquece e a terceira mantém a chuva do lado de fora. Vestir as três camadas significa que você poderá tirá-las ou colocá-las de acordo com o tempo e o seu nível de atividade. Um casaco gigante com certeza vai te manter quente no acampamento à noite, mas é pouco eficiente na maioria das outras situações.

5. Não praticar. Você chegou ao acampamento à noite, durante uma tempestade? Com certeza será um sufoco descobrir como montar a sua barraca novinha. É muito mais fácil descobrir como todas as peças se encaixam em casa, em um dia de sol. A mesma técnica vale para outros itens de equipamento.

6. Levar um isolante ruim, ou nenhum isolante. Todo mundo sabe que é preciso ter um saco de dormir para dormir bem, mas muita gente acha que pode ficar sem um isolante sem problemas. “Vou encarar”, pensam, e então passam a noite toda em claro, doloridos.

Isolantes garantem conforto térmico e apoio para o corpo durante a noite. A última geração de isolantes infláveis é tão boa que quase parece o colchão que você tem em casa. Vale investir em um. E não, não basta trazer o tapete de yoga.

7. Não se preparar para ir ao banheiro. Ninguém quer descobrir pedaços de papel higiênico ou uma “surpresinha” no meio de uma trilha na natureza. Garanta conforto e higiene trazendo uma pá, lenços umedecidos, álcool em gel e um saco estilo ziploc. Cave um buraco de 15 a 20 cm de profundidade (é por aí que vivem as bactérias que digerem melhor as fezes humanas), faça o que tiver que fazer lá dentro, limpe-se com os lenços umedecidos, ponha-os no saquinho, tire o ar de dentro, feche e leve-o embora com você. A mãe natureza – e todo mundo que passar por ali – agradece.

8. Não coordenar os equipos. Ver “Levar coisas demais”. Se o seu amigo levará um fogareiro, você não precisa levar o seu também. E não há necessidade de comprar nada que você possa pegar emprestado. Se você for viajar em grupo, faça uma planilha com “quem leva o quê”. Você vai se surpreender com a quantidade de dinheiro, peso e esforço que vai economizar.

9. Ficar sem bebida. Erro de principiante. Sentar em volta da fogueira e ficar de papo para o ar dá sede. Traga mais whiskey (ou sua bebida favorita) do que você acha que vai precisar.

10. Dormir pelado. Não há nenhuma verdade no mito de que dormir pelado dentro do saco de dormir é a opção mais quente. Mais isolamento é mais isolamento e ponto final. Sempre vista sua primeira camada na hora de dormir – isto evita que os seus óleos corporais fiquem no saco de dormir, diminuindo sua eficiência com o passar do tempo. Se você está realmente tentando cortar peso, pode viajar com um saco de dormir mais leve do que o indicado, e usar mais camadas de roupa. É uma técnica ousada em termos de planejamento, mas um jeito fácil de passar uma noite mais fria do que o previsto.

11. Trazer repelente sem DEET. O DEET é o único componente comprovadamente eficaz na hora de espantar os insetos. Também é um dos compostos químicos mais comumente aplicados no corpo humano, e até agora não há efeitos colaterais conhecidos em seu uso. A prevenção é a melhor cura.

12. Não secar seu equipamento. Não choveu, então você não precisa armar a barraca no quintal quando chegar em casa, certo? Bom, é assim que você consegue uma barraca mofada. Equipamentos outdoor ficam úmidos não só por causa da chuva, mas também devido à transpiração. Não importa quão seca tenha sido sua viagem, na volta para casa, é hora de pendurar sua barraca, saco de dormir e roupas até que estejam totalmente secos. Fazer isso vai ajudar a prolongar a vida útil de todas essas coisas caras.

13. Vestir roupas de algodão. Sempre que possível, evite peças de algodão. Alternativas sintéticas, de seda ou de lã são infinitamente melhores em tudo, inclusive em te manter seco. Se sua preocupação for o custo mais alto, pense a longo prazo: itens de qualidade duram mais tempo do que itens baratos. Economize e compre uma peça durável uma única vez, ao invés de pagar barato e ter que comprar a mesma coisa três ou quatro vezes.

14. Não usar as estacas da barraca corretamente. Sua barraca tem todas aquelas cordinhas penduradas nela por uma boa razão. A mesma coisa vale para ajustes de velcro ou materiais similares para prender as varetas por dentro do toldo. A maioria das barracas também é pensada para apontar em uma certa direção em relação ao vento. Leia as instruções e monte sua barraca da forma correta, toda vez – assim você evita ser surpreendido por uma tempestade no meio da noite.

 

 

COMPARTILHAR