Tá chegando!

Não sabe ainda onde vai passar o final de ano? Está na hora de pensar. Selecionamos seis destinos para você começar 2012 em alto estilo

Não sabe ainda onde vai passar o final de ano? Está na hora de pensar. Selecionamos seis destinos para você começar 2012 com o pé direito na areia, na lama, em terras exóticas ou para cima

Por Mario Mele

QUER PASSAR UM final de ano inesquecível? Então é melhor começar a planejar sua viagem agora. Calma, ainda dá tempo de sobra para escolher o lugar e o tipo de roteiro que mais combinam com seu estado de espírito nesse fim de ano. A seguir, apresentamos seis destinos incríveis, em diferentes partes do planeta, para você passar muito bem os últimos momentos de 2011 e saudar 2012 em grande estilo.

>> Sossego na Tasmânia

NICE: Remar no paraíso é apenas uma das opções para não ficar parado

A Tasmânia é uma ilha a 240 quilômetros ao sul da Austrália, cujo lado leste é conhecido como “costa do sol” pelo clima agradabilíssimo. A melhor hospedagem da região, considerada um dos lugares mais tranquilos do mundo, é o Saffire, na baía de Freycinet. O hotel dispõe de 20 suítes de luxo, entre 80 e 140 metros quadrados, com arquitetura que valoriza a vista do paraíso natural que cerca a construção. O Saffire é rodeado pelo Parque Nacional Freycinet, criado em 1916 e repleto de ótimas trilhas para serem feitas a pé e que levam à parte alta da baía. Também não faltam opções para pedalar, velejar, remar, mergulhar ou simplesmente relaxar na areia quente de Freycinet. O Safirre conta ainda com um spa de luxo e uma academia bem equipada. US$ 16.500 por oito noites, com pensão completa e ceia de réveillon inclusa; saffire-freycinet.com.au

>> Badalação na península de Maraú

MÚLTIPLA ESCOLHA: A península de Maraú tem praias boas para mergulho, surf e uma das melhores festas de réveillon do país

A península de Maraú é um braço de terra entre Salvador e Ilhéus com 50 quilômetros de extensão. É um belíssimo cartão-postal da Bahia que fica mais conhecido a cada ano. Também pudera: de um lado, fica a baía de Camamu. Do outro, praias paradisíacas, como Bombaça, Cassange, Taipu de Fora e Algodões. Algumas têm boas ondas, outras são excelentes para snorkeling e mergulho. Na ponta da península está Barra Grande, a maior e mais agitada vila da região, conhecida pelas boas baladas de fim de ano. O Kiaroa, por exemplo, é um luxuoso resort construído de acordo com normas de sustentabilidade. O pacote de fim de ano para duas pessoas inclui festa de réveillon com música ao vivo e DJ, regada a vinho e champanhe (a partir de R$ 19 mil o pacote com 7 noites; kiaroa.com.br). Se você estiver de bobeira nesse paraíso tropical, vá à balada open bar Beach Ball, que existe desde 2003 e, hoje, já é considerada uma das melhores festas de réveillon do país. Quem já foi garante que o mix de natureza, gente bonita e boa música é o segredo desse sucesso (R$ 600, se comprado com antecedência; beachball.com.br). A partir de R$ 4.800, a agência de turismo Venturas oferece pacotes por sete dias na pousada Lagoa do Cassange, com alimentação, ceia de réveillon e partes aéreas e terrestres; venturas.com.br

>> Ritual diferente na Índia

MUDE O FOCO: Se está cansado de ver pessoas vestidas de branco na virada do ano, vá para a Índia

Para quem busca um final de ano diferente das tradicionais festas de branco com fogos de artifício, a Índia é uma ótima pedida. Uma sugestão é passar a noite da virada sob as estrelas de Thar, o “Grande Deserto Indiano”, que se estende por uma área de mais de 200 mil metros quadrados (maior que o estado do Paraná). Fica no noroeste do país, próximo ao Paquistão. Não pense em perrengue: a base de apoio é o luxuoso Manvar Desert Camp (manvar.com), que possui 30 tendas com ampla infraestrutura, decoradas com tapetes e mobílias típicas da cultura local. A maior parte da viagem de 12 dias será pelo Rajastão, o estado dos palácios indianos e onde as mulheres não economizam em roupas coloridas e jóias pelo corpo. Também é grande a população de camelos e elefantes por ali, por isso se prepare para vê-los muitas vezes. O grand finale é a visita ao Taj Mahal, já no estado de Uttar Pradesh, o famoso monumento erguido em nome do amor de um rei por sua esposa. Antes, porém, uma paradinha na majestosa Fatehpur Sikri, antiga capital do império mongol construída no século 16. A partir de US$ 5,980; latitudes.com.br

>> Fuja da praia no sul do país

ALMA LAVADA: Nada como um banho de cachoeira para começar 2012 renovado

O Refúgio Ecológico Pedra Afiada, no Parque Nacional da Serra Geral, existe há nove anos, na divisa entre os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Nesse hotel sofisticado, os quartos são muito confortáveis, mas não há TV – assim você pode curtir tudo o que a natureza a seu redor oferece. Na noite do réveillon, por exemplo, a queima de fogos de Copacabana, que costuma ser transmitida ao vivo, será substituída por uma trilha de meia hora até a cachoeira da Onça, com sua queda d’água de 25 metros. Apesar de alguns moradores da região não considerarem o verão a melhor época para conhecê-la, são nos meses mais quentes e chuvosos que as cachoeiras ficam mais cheias e a mata é realmente refrescante. O Refúgio Ecológico se localiza na garganta do cânion Malacara, um dos mais selvagens da Serra Geral. Durante o dia, não faltam opções para explorar a área: trekking pela parte alta dos cânions, mountain bike, canionismo e trilhas que levam a cachoeiras e piscinas naturais. As opções de hospedagem variam entre o Bed & Breakfast para os mochileiros desapegados (a partir de R$ 620 por 4 noites) e um chalé de luxo, equipado com lareira, mirante, sala e cozinha com frigobar (R$ 4.550 o pacote de 4 noites com pensão completa); pedraafiada.com.br

>> Flutue em Belize

PISCINA PARTICULAR: Calor, água quente e
transparente e muito o que fazer em Belize

Nas águas calmas, claras e quentes de Belize descansa a segunda maior barreira de corais do mundo. Depois de remar em caiaque sobre ela, coloque a máscara de mergulho e o snorkel para uma visita íntima à riqueza de espécies marinhas que moram por ali. Mergulhadores credenciados ainda terão a chance de explorar as paredes externas da barreira. A melhor opção de hospedagem é o resort Glover’s Atoll, uma ilha particular encravada no paraíso. No continente, faz parte da lista das melhores aventuras explorar uma caverna onde eram realizadas cerimônias maias. Há ainda a opção de passar três dias remando dentro de cânions e de uma floresta tropical exuberante. Se não souber remar, um instrutor especializado lhe passará as noções básicas antes de você se jogar por uma expedição pelo rio Moho. No trajeto, haverá paradas estratégicas para caminhadas pelo interior da mata. Guias ainda o ajudarão a visualizar e identificar a fauna local (principalmente pássaros) e a entender melhor a cultura maia. US$ 2.470 o roteiro de 11 dias; rei.com

>> Suma do mapa no extremo Cone Sul

SAIA DO ÓBVIO: Não descarte tirar o verão para conhecer algumas das
geleiras mais espetaculares do planeta

A saída será no dia 27 de dezembro, rumo ao sul do mundo. A primeira parte da viagem é toda em El Calafate, uma pequena cidade da província argentina de Santa Cruz, na divisa com o Chile. Ela está próxima ao Parque Nacional dos Glaciares, onde se localiza o glaciar Perito Moreno, umas das geleiras mais espetaculares do mundo, de cerca de 30 metros de altura. A outra metade do roteiro foi reservada a Ushuaia. A capital da Terra do Fogo é conhecida como a cidade mais austral do mundo e se localiza a cerca de 1.000 quilômetros do continente Antártico. No verão, a temperatura média dificilmente passa dos 10ºC, mas, em compensação, os dias são bem longos (a luz impera entre as 4 horas da manhã e as 23h). É um tempo bom para curtir a Ilha de Los Lobos, casa de leões marinhos, albatrozes e patos selvagens. Lá você ainda conhecerá os lagos Fagnano e Escondido, uma inesquecível amostra do que te espera nesse belíssimo cenário ao sul do mundo. Dica: passe a virada do ano numa das praias do Parque Nacional da Terra do Fogo. Você vai pular ondinhas com o céu ainda claro! US$ 3.032 por 7 noites; freeway.tur.br

(Reportagem publicada originalmente na Go Outside de setembro de 2011)